Paróquia SPSP‎ > ‎

Palavra do Pastor

 
 
Pascom
Pascom
 Youtube
Paróquia
https://www.facebook.com/terco.d.homens
Terço dos
Homens
Google+
Paróquia 

Pascom 
Pinterest
Paróquia
Terço dos Homens
Terço dos
Homens 
   

Curta Nosso Site.

logoparoquia
Paróquia 
São Pedro e São Paulo
Atendimento, Missa, Avisos e Agenda Paroquial.

    Veja aqui.

Calendário Liturgíco
Calendário Paroquial
Comunidades
Orações Eucarística
Padroeiros
Pastorais
São Vicente e 
Santa Luísa











































INICIAL SANTO DO DIA  LITURGIA DIÁRIA




28º Domingo do Tempo Comum
Domingo, 15 de outubro 2017 
Evangelho Mateus 22,1-14

Muitos convidados e poucos escolhidos


Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, ilumine os olhos do nosso coração,
para sabermos a que esperança fomos chamados.

Padre Evaldo Carvalho
Padre Evaldo Carvalho-CM
Pároco.

Na parábola Jesus compara o Reino do Céu com uma festa de casamento, com um banquete. Uma festa de casamento envolve comida e bebida abundante, presença da família e amigos. As pessoas tentam colocar as melhores roupas que possuem, e assim arrumar tudo o que é necessário para participar de uma forma digna.

Desta forma Jesus está comunicando-nos que o Reino de Deus é uma celebração de amor, uma aliança que se consolida e se projeta com esperança ao futuro, onde está presente a família, os amigos e amigas. É uma aliança de Deus com os homens e mulheres e deles entre si.

E quando dizemos «convidados», queremos sublinhar que isto não se produz sem o assentimento da nossa liberdade. É preciso que, de nossa parte, haja uma resposta ao convite proposto. É indispensável o nosso «sim», como eco do «sim» de Maria no «relato» da Anunciação. 

Jesus reconhece na parábola que há alguns que rejeitam esse convite preparado com tanto carinho pelo seu Pai. Jesus sabia que cada pessoa tem liberdade para escolher aquilo que deseja.

De fato, a questão está em responder ou não responder ao convite: convite que é endereçado a todo o mundo. Recusar corresponde a desprezar o dom de Deus: dom de Si mesmo. Os primeiros convidados não se interessaram pela festa de casamento a que estavam sendo convidados. 

Os convidados respondem com justificativas, rejeitando mais de uma vez o convite: têm campos para trabalhar, poderes para vigiar, comércios para realizar... Não só não respondem positivamente, mas também, como que ofendidos por esse convite reiterado, insultam os enviados, expulsam-nos e os perseguem até matar alguns deles!

No lugar deles, serão convidados todos os que se encontrarem nas encruzilhadas dos caminhos, maus e bons. 

Entre os convidados, o rei descobre um homem sem a “roupa” apropriada para o casamento.

Contudo, se damos o nosso sim, se aceitamos participar do banquete é preciso também usar a veste apropriada, vamos a ele mudando a veste do nosso comportamento, em uma verdadeira conversão, ou, ao contrário, acabamos mentindo com hipocrisia, entrando na aliança com o Senhor sem ter feito uma mudança real.

Há um estilo de vida que deve ficar para trás, para iniciar uma nova experiência de um novo estilo de vida para ser revestido de seus sentimentos e do seu projeto de vida e assim participar da Festa. É tudo de graça, mas é necessário aceitá-lo e deixar-nos renovar pelo seu Espírito para acolher um novo estilo de vida.

O convite a participarmos do banquete do Reino pode ficar ofuscado pelo ego fechado e superficial. O apego aos bens e aos negócios podem nos impedir de escolher o caminho da vida plena.

O perigo está em ter ouvidos para os cantos das sereias, e não para o convite que vem do mais profundo de nosso ser, que nos chama a uma plenitude humana.

A parábola nos recorda constantemente que Ele está nos chamando nas encruzilhadas de nossa existência. O desafio permanente é este: examinar as “coisas” que estão ocupando por completo nosso coração e “tomando conta de nós” a ponto de bloquear o fluxo da Graça e da Vida.

 


Oração

Pai, toca meu coração para que eu me abra aos apelos de Jesus, o qual me convida, insistentemente, a aderir ao teu Reino e a participar das alegrias que dele provém.






Comments