Paróquia SPSP‎ > ‎

Santo do Domingo

 
 
Pascom
Pascom
 Youtube
Paróquia
https://www.facebook.com/terco.d.homens
Terço dos
Homens
Google+
Paróquia 

Pascom 
Pinterest
Paróquia
Terço dos Homens
Terço dos
Homens 
   

Curta Nosso Site.

Inicial Santo do dia Liturgia diaria



 Comentário Litúrgico "O Domingo"   

                                                                                                                                                                                                                                                         

21º Domingo do Tempo Comum
Domingo, 25 de agosto de 2019 
Evangelho (
Lc 13,22-30)


Eu sou o caminho, a verdade e a vida, diz o Senhor:
ninguém vai ao Pai senão por Mim.


Resultado de imagem para Lucas 13,22-30Na perspectiva da catequese que, hoje, Lucas nos apresenta, as palavras de Jesus são uma reflexão sobre a questão da salvação. A catequese é despoletada por uma questão posta na boca de alguém não identificado: "Senhor, são poucos os que se salvam?"
A questão da salvação era, na realidade, uma questão muito debatida nos ambientes rabínicos. Para os fariseus da época de Jesus, a "salvação" era uma realidade reservada ao Povo eleito e só a ele; mas, nos círculos apocalípticos, dominava uma visão mais pessimista e sustentava-se que muito poucos estavam destinados à felicidade eterna. Jesus, no entanto, falava de Deus como um Pai cheio de misericórdia, cuja bondade acolhia a todos, especialmente os pobres e os débeis. Fazia, portanto, sentido saber o que pensava Jesus acerca da questão...
Jesus não responde diretamente à pergunta. Para Ele, mais do que falar em números concretos a propósito da "salvação", é importante definir as condições para pertencer ao "Reino" e estimular nos discípulos a decisão pelo "Reino". Ora, na óptica de Jesus, entrar no "Reino" é, em primeiro lugar, esforçar-se por "entrar pela porta estreita". A imagem da "porta estreita" é sugestiva para significar a renúncia a uma série de fardos que "engordam" o homem e que o impedem de viver na lógica do "Reino". Que fardos são esses? A título de exemplo, poderíamos citar o egoísmo, o orgulho, a riqueza, a ambição, o desejo de poder e de domínio... Tudo aquilo que impede o homem de embarcar numa lógica de serviço, de entrega, de amor, de partilha, de dom da vida, impede a adesão ao "Reino".
Para explicitar melhor o ensinamento acerca da entrada do "Reino", Lucas põe na boca de Jesus uma parábola. Nela, o "Reino" é descrito na linha da tradição judaica, como um banquete em que os eleitos estarão lado a lado com os patriarcas e os profetas. Quem se sentará à mesa do "Reino"? Todos aqueles que acolheram o convite de Jesus à salvação aderiram ao seu projeto e aceitaram viver, no seguimento de Jesus, uma vida de doação, de amor e de serviço... Não haverá qualquer critério baseado na raça, na geografia, nos laços étnicos, que barre a alguém a entrada no banquete do "Reino": a única coisa verdadeiramente decisiva é a adesão a Jesus. Quanto àqueles que não acolheram a proposta de Jesus: esses ficarão, logicamente, fora do banquete do "Reino", ainda que se considerem muito santos e tenham pertencido, institucionalmente, ao Povo eleito. É evidente que Jesus está a falar para os judeus e a sugerir que não é pelo facto de pertencerem a Israel que têm assegurada a entrada no "Reino"; mas a parábola aplica-se igualmente aos "discípulos" que, na vida real, não quiserem despir-se do orgulho, do egoísmo, da ambição, para percorrer, com Jesus, o caminho do amor e do dom da vida.

Oração 

Espírito de abnegação, torna-me incansável no esforço de entrar pela porta estreita do Reino, 
dispondo-me a abrir mão de minhas conveniências e interesses pessoais.




Fonte: 
www.dehonianos.org



Curta e Compartilhe

Comments