NOSSA SENHORA DAS CANDEIAS


 Compartilhe.



  


   

NOSSA SENHORA DAS CANDEIAS / NOSSA SENHORA DA CANDELÁRIA

Celebração: 02 de fevereiro

 

                                         


História. 

Conta-se que por volta de 1440, dois pastores guardavam seus animais perto de uma caverna na ilha de Tenerife, nas Canárias, e observaram certo dia, que o gado se recusava a entrar na caverna, apesar de seus esforços. Os pastores entraram então na gruta e descobriram a imagem de uma Senhora com o filho no colo. Estranhando o ocorrido, foram relatar ao povo. Acudindo a população, inclusive o rei do país, ao local, observaram maravilhados a existência de numerosas candeias (velas) sustentadas por seres invisíveis que, com seus cânticos, ensinavam a maneira de render culto a Deus e a Virgem Maria. Começaram os nativos a honrar Aquela que amavam sem conhecer, até que um cristão espanhol, casualmente, ali desembarcou nos fins do século XV e explicou-lhes o mistério. Pouco depois, foram as ilhas conquistadas pelos castelhanos e, quando os Padres Jesuítas chegaram, não tiveram trabalho em converter aquele povo já tão devoto de Maria, a quem deram o título de Candelária, por causa das candeias que iluminavam a imagem. No inicio do século XVII, Antônio Martins Palma, natural da Ilha de Tenerife, no arquipélago das Canárias, e sua mulher, navegando em direção às Índias Espanholas (América latina), foram surpreendidos por terrível tempestade, que pôs em perigo o navio do qual ele era capitão, e a vida de todos os passageiros. Recorreram, então, a Nossa Senhora da Candelária, venerada em sua pátria, e prometeram perpetuar a memória de sua proteção edificando lhe um templo na primeira terra onde aportassem sãos e salvos. Esta terra foi o Rio de Janeiro, e os quase náufragos, ao desembarcarem, deram graças a Deus e à Virgem Maria.


Origem pela Devoção Popular

A origem da devoção à Senhora das Candeias tem os seus começos no que é narrado por São Lucas no capítulo segundo de seu Evangelho, sobre apresentação do Menino Jesus no Templo e da purificação de Nossa Senhora, quarenta dias após o seu nascimento (sendo celebrada, portanto, no dia 2 de Fevereiro, 40 dias após o Natal do Senhor). De acordo com a tradição de Lei de Moisés, as mulheres, após darem à luz, ficavam impuras, devendo não ir ao Templo até quarenta dias após o parto. Nessa data, deviam apresentar-se diante do chefe dos sacerdotes, a fim de apresentar o seu sacrifício (um cordeiro e duas pombas ou duas rolas) e assim purificar-se. Desta forma, José e Maria apresentaram-se diante de Simeão para cumprir o seu dever, e este, depois de lhes ter revelado maravilhas acerca do Filho que ali lhe traziam, teria lhes dito: «Agora, Senhor, deixa partir o vosso servo em paz, conforme a Vossa Palavra”. Pois os meus olhos viram a Vossa salvação que preparastes diante dos olhos das nações: Luz para aclarar as nações, e glória de Israel, vosso povo» (Lucas, 2, 29-33).

Com base na Apresentação de Jesus e Purificação da Virgem, nasceu a festa de Nossa Senhora da Purificação e do cântico de Simeão, que promete que Jesus será a luz que irá iluminar todos os povos, nasce a devoção a Nossa Senhora das Candeias, da Luz ou da Candelária, cujas festas eram geralmente celebradas com uma procissão de velas, a relembrar o fato.

Nossa Senhora da Luz era tradicionalmente invocada pelos cegos (como afirma o Padre Antônio Vieira no seu Sermão do Nascimento da Mãe de Deus: «Perguntai aos cegos para que nasce esta celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora da Luz [...]»), e tornou-se particularmente cultuada em Portugal a partir do início do século XV; segundo a tradição, deve-se a um português, Pedro Martins, muito devoto de Nossa Senhora, que descobriu uma imagem da Mãe de Deus por entre uma estranha luz, no sítio de Carnide, nos arredores de Lisboa. Aí se fundou de imediato um convento e igreja a ela dedicada, que conheceu grande incentivo devido à ação da jovem filha de D. Manuel I e sua terceira esposa, D. Leonor de Áustria. A partir daí, a devoção à Senhora da Luz cresceu, e com a expansão do Império Português, também se dilatou pelas regiões colonizadas. É a santa padroeira das ilhas Canárias, sob o nome de Nossa Senhora da Candelária. Mas especial destaque vem para o Brasil, onde é a santa padroeira da cidade de Curitiba, capital do Paraná, Guarabira, na Paraíba ou ainda de Pinheiro Machado, no Rio Grande do Sul. A Bahia tem-se uma devoção especial por ela e em nossa Candeias, Minas Gerais. Aqui, a presença abundante da árvore de candeia, deve ter exercido uma influência marcante na escolha e na invocação de Maria entre nós como a Virgem das Candeias.


A Festa da Purificação de Nossa Senhora, também conhecida como Nossa Senhora das Candeias, da Luz ou da Candelária, é celebrada no dia de fevereiro.



Oração

Fazei, ó Deus, que, ao celebrarmos a memória de Nossa Senhora das Candeias, 

possamos também, por sua intercessão, participar da plenitude de Vossa Graça. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso filho, na Unidade do Espírito Santo. 

Amém

 

Oração

Virgem Santíssima das Candeias, vós que pelos merecimentos de vosso Filho Onipotente, 

tudo alcançais em benefício dos pecadores de quem sois igualmente Senhora e Mãe.

Vós que não desprezais as súplicas humanas e nem a elas fechais o vosso coração compassivo e misericordioso.

Iluminai-me, eu vos peço, na estrada da vida, encorajai-me e encaminhai os meus passos e as minhas orações para o verdadeiro bem.

Livrai-me de todos os perigos a que está exposta à minha fraqueza. Defendei-me de meus inimigos, 

como defendeste o vosso amado Filho das perseguições que sofreu sendo menino.

Não consintais que eu seja atingido por ferro, fogo e nem por peste alguma, 

e depois de todos estes benefícios de vossa clemência nesta vida, conduzi a minha alma para a morada dos anjos, 

onde com Jesus Cristo, vosso Filho e Nosso Senhor vivem e reinam, pelos séculos.

Amém.




                                                                                                                     











Comments